24 de março de 2013

O Jesus da Superinteressante


Por Leandro Duarte

Chegou às minhas mãos por esses tempos a super interessante revista chamada, pasmem, Superinteressante. A edição era a 312, de dezembro do ano passado, e trazia na capa o suntuoso  e soberbo título: JESUS, A VERDADE POR TRÁS DO MITO.

Não me espantei ao vê-lo, até porque a revista já havia publicado em uma edição anterior outro título que igualmente atacava o cristianismo, mas daquela vez era sobre a Bíblia e não sobre Jesus. Não me espantei porque eles tem até um link no site da Abril que se detém a falar exclusivamente que a Bíblia está errada, que Jesus pode ter sido um ET (!?!?) e que a narração bíblica sobre os filisteus foi deturpada. É apenas mais do mesmo do que vemos na mídia em geral.

Bem, dei uma lida na revista e resolvi publicar aqui: será que os mitos que a Superinteressante fala sobre Jesus são realmente mitos? Vamos analisá-los um a um.


I - Ele não nasceu em Belém, nem no Natal.
Que ele não nasceu no Natal já sabemos. O Natal foi apenas uma data adotada pela Igreja Católica bem depois do início da igreja primitiva e não encontramos relato bíblico de que Jesus tenha nascido no dia 25 do mês 12. Agora falar que ele não nasceu em Belém já é demais. Mateus e Lucas concordam que foi assim. A revista bebe das fontes de John Dominic Crossan para afirmar isso, estudioso caracterizado por ser criticado por inúmeros  outros estudiosos do NT.


Mateus escreveu principalmente aos judeus da época e inclusive utiliza de profecias do AT para afirmar que Jesus é o messias predito. Acontece que se esse Jesus não satisfizesse apenas uma das profecias, ele não seria aceito nem pelo próprio Mateus (que era judeu) como messias. Pois bem, vemos Mateus escrevendo o seguinte:
"E eles lhe disseram: Em Belém de Judéia; porque assim está escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, De modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá; Porque de ti sairá o Guia Que há de apascentar o meu povo de Israel." (Mt 2:5,6)
O que Mateus está fazendo nessa passagem é afirmando que Jesus nasceu em Belém para se cumprir o que foi dito lá atrás pelo profeta Miquéias! Jesus deveria cumprir essa profecia para ser o messias de Israel. Lembre-se que a comunidade judaica da época estava ávida para desmascará-lo como messias, e seria fácil se ele não fosse de Belém. 

A revista ainda diz que Lucas erra ao citar um recenseamento no governo de César Augusto. Bem, sobre essa questão, te convido a ler esse post: Lucas errou ao citar um recenseamento mundial?

II - Os três reis magos não eram reis. Nem eram três.
E qual é a novidade aqui? Não há nos evangelhos nenhuma citação de que eram REIS magos e nem que eram três, e nesse ponto a revista concorda comigo. O irônico é eles utilizarem o livro de Mateus, que eles atacaram no primeiro ponto acima, como fundamento para afirmarem isso, porque somente ele trás esse episódio dos magos que foram visitar Jesus.

De quebra, a revista ainda diz o seguinte: "Essa é uma história típica da mitologia de Jesus". Mitologia Superinteressante?

III - Ele era moreno, baixinho e de cabelo curto.
Outra novidade bombástica que vai abalar profundamente o Cristianismo! Jesus não era loiro, de olhos azuis e cabelos longos. De fato, como a revista mesmo afirma, as representações de Jesus com olhos claros e cabelos longos e dourados vieram bem depois, pelas representações da Igreja Católica Romana.

Mas não precisamos de muitos estudos pra reconhecer isso: Jesus era judeu, portanto seria natural que tivesse a pele mais morena (principalmente porque ficava quase o dia inteiro no sol), e que tivesse cabelos pretos e curtos. Não é comum na etnia judaica pessoas loiras, quanto mais de olhos azuis!

De fato, até a própria Bíblia se cala com relação à aparência de Jesus. Na verdade, existe apenas um versículo que, em partes, nos esclarece sobre a aparência dele:
"não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos." (Is 53:2)
IV - Jesus era só um entre vários profetas.
Acho que, de todos os pontos apresentados pela revista, esse é o que mais doeu. Diz lá que no livro Guerra dos Judeus, de Josefo, dá para identificar pelo menos 15 figuras semelhantes a Jesus. Não precisamos do livro pra constatar isso. A própria Bíblia diz que naquela época existiam vários pseudo-profetas:
"Porque antes destes dias levantou-se Teudas, dizendo ser alguém; a este se ajuntou o número de uns quatrocentos homens; o qual foi morto, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos e reduzidos a nada." (At 5:36)
Essa fala foi de Gamaliel, respeitado doutor da lei judaica, que compara o cristianismo com outras seitas que estavam surgindo na época. Ele diz que, se fosse coisa de Deus, ela prevaleceria sobre os homens, mas se fosse coisa de homens, ela seria subjugada, como foi todas as outras que apareceram nos dias de Jesus

Mas esse é somente o primeiro ponto da reportagem. O outro ponto afirma que Jesus é apenas um profeta, como foi João Batista. Bem, sobre essa questão, deixo apenas uma citação de C. S. Lewis aqui, de seu livro Cristianismo Puro e Simples:
"Tento aqui impedir que alguém diga a grande tolice que sempre dizem sobre Ele [Jesus Cristo]: ‘Estou pronto a aceitar Jesus como um grande mestre em moral, mas não aceito sua afirmação em ser Deus.’ Isto é exatamente a única coisa que não devemos dizer. Um homem que foi simplesmente homem, dizendo o tipo de coisa que Jesus disse, não seria um grande mestre em moral. Poderia ser um lunático, no mesmo nível de um que afirma ser um ovo pochê, ou mais, poderia ser o próprio Demônio dos Infernos. Você decide. Ou este homem foi, e é, o Filho de Deus, ou é então um louco, ou coisa pior... Você pode achar que ele é tolo, pode cuspir nele ou matá-lo como um demônio; ou você pode cair a seus pés e chamá-lo Senhor e Deus. Mas não vamos vir com aquela bobagem de que ele foi um grande mestre aqui na terra. Ele não nos deixou esta opção em aberto. Ele não teve esta intenção.”
V - Mateus, Marcos, Lucas e João não são os autores dos evangelhos.
Desde o início da Igreja, os livros já eram creditados aos seus devidos autores: Mateus, Marcos, Lucas e João. Inclusive, um dos critérios para a inclusão desses livros no cânon foi que eles deveriam possuir autoridade apostólica - lembre-se que Mateus e João eram apóstolos diretos de Jesus, Marcos era intimamente ligado à Pedro (a ponto deste chamar aquele de filho em I Pe 5:13) e provavelmente foi testemunha ocular de Jesus quando este foi preso (Mc 14:51,52) e Lucas companheiro de viagens e amigo de Paulo (Cl 4:14; Fm 1:24; II Tm 4:11).

Pois bem, a revista nos dá a informação de que eles não poderiam ter sido os autores, pois saber escrever era algo raro para pessoas da época. Vejamos o ofício desses homens:
- Mateus era coletor de impostos (Lc 5:27) e inclusive estava trabalhando quando foi chamado. Não seria de admirar que um coletor de impostos soubesse escrever.
- Marcos provavelmente foi testemunha ocular de Jesus, e foi amplamente amparado por Pedro, como dito anteriormente.
- Lucas era médico e seu evangelho foi produzido em dois volumes, o Evangelho de Lucas e o livro de Atos (At 1:1). A semelhança entre esses dois livros, de uma ótica textual, é impressionante e somente pelo livro de Atos podemos constatar que apenas alguém que tivesse participado das viagens de Paulo poderia escrever (vide At 16).
- João foi outra testemunha ocular (Jo 21:24) e provavelmente o discípulo mais próximo de Jesus, tanto que ele narra vários episódios íntimos de Jesus com os doze escolhido, que não são narrados pelos outros evangelhos, além de conhecer profundamente a cultura judaica. João também é autor de outras 3 cartas, além do Apocalipse. A semelhança na escrita dos 4 livros/cartas (com exceção do Apocalipse, que o apóstolo reivindica claramente a autoria) é marcada pelo amor, uma das características mais marcantes do discípulo.
Nenhum dos pais da Igreja jamais colocou em xeque a autenticidade da autoria dos evangelhos. Só não entendo porque esse assunto é colocado como um mito por trás de Jesus, visto que não é um mito e não se trata da pessoa de Jesus, mas da autenticidade da Bíblia (:P).

VI - Judas pode não ter sido um traidor.
Essa é das antigas. Judas já tentou ser transformado em bom moço várias e várias vezes, e essa é somente mais uma delas. O interessante (pra combinar com o nome da revista) é que preferem dar créditos ao Evangelho Apócrifo de Judas, escrito no século II - notem que Judas aparece pela última vez no ano da morte de Jesus, provavelmente no ano 28 d.C - ao invés de atentar para os quatro evangelhos canônicos que retratam o fato.

No evangelho consta que Jesus pediu a Judas que o entregasse às autoridades romanas. O fato é que Jesus disse aos discípulos que um deles era o próprio diabo:
 "[...] um de vós é um diabo." (Jo 6:70)
Ora, seria de se esperar que se Jesus tivesse realmente pedido a Judas que o traísse, esse episódio teria duas consequências: ou o próprio Judas teria aberto o jogo e revelado o pedido de Jesus, ou então Jesus estaria mentindo. Contudo, vemos que Judas nem ao menos se manifestou.

Temos também, a passagem em que o próprio Judas pergunta a Jesus se era ele quem o trairia: 
"Em verdade o Filho do homem vai, como acerca dele está escrito, mas ai daquele homem por quem o Filho do homem é traído! Bom seria para esse homem se não houvera nascido. E, respondendo Judas, o que o traía, disse: Porventura sou eu, Rabi? Ele disse: Tu o disseste." (Mt 26:24-25)

Outro ponto, é que havia uma profecia concernente a este fato da vida do messias. Isso se encaixa com aquele primeiro ponto sobre Jesus ter nascido em Belém. A saber: 
"Até o meu próprio amigo íntimo, em quem eu tanto confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar." (Sl 41:9)
A revista argumenta também que colocaram Judas na história apenas para tapar o sol com a peneira, pois os evangelistas tinham medo do pessoal não se converter por ocasião da culpa pela morte de Jesus recair sobre império romano.

Primeiro, não haveria motivo para os quatro evangelistas concordarem em colocar a culpa da traição em alguém que convivia com eles. Em segundo lugar, encobrir um fato para fazer média com homens não parece o traço de um discípulo que diz:
"Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens." (At 5:29)
Pois bem, ainda há o argumento em que Paulo diz que Jesus apareceu a Pedro e depois aos doze, que a revista consideram os doze como contendo Judas, em I Coríntios 15:5

"E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze." (1 Co 15:4-5)
Em Atos 1, logo após a ascensão de Jesus, já havia ocorrido o suicídio de Judas e um outro homem foi eleito pelos discípulos para substituí-lo. Esse homem é Matias, que é tratado assim por Lucas:
"E, lançando-lhes sortes, caiu a sorte sobre Matias. E por voto comum foi contado com os onze apóstolos." (At 1:26)
Logo podemos concluir que Jesus, depois de aparecer a Pedro, apareceu aos doze: Pedro, Tiago, João, André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago (filho de Alfeu), Tadeu,  Simão o Zelote, e MATIAS, no lugar de Judas, que inclusive morre antes da ressurreição de Jesus! Como ele poderia estar sendo contado no meio dos doze se ja havia suicidado?

VII - O Reino dos céus era na Terra.
E este é o ultimo dos sete pontos Superinteressantes (tchã!) que a revista aborda. Só que eles fazem uma pequena confusão aqui: o Reino, que provém dos céus (por isso chamado reino dos céus), se instala na Terra através da obra redentora de Jesus. Não há nenhum mito aqui. Tem duvidas? Leia Mateus capítulos 4, 5 e 6.

Conclusão.
Aí está, os mitos(!?) esclarecidos.  Puxa, essa postagem ficou bem grande, mas prometo que estou terminando...

A Superinteressante utilizou de fontes de Bart Ehrman: ateu e anti-cristão que inclusive ja debateu com William Lane Craig sobre a ressurreição de Jesus tendo uma posição contra. Não seria de se espantar que a revista apoiasse a causa de Bart.

Deixo, para finalizar, as seguintes perguntas: Se é uma mitologia a história de Jesus, por que dar tanta importância a ela? E por que tanta falta de sucesso ao tentar desmenti-la? 


9 comentários:

  1. infelizmente é uma revista que tinha tudo para ser boa, mas alguns dos seus escritores tem algumas ideias fracas, e o editorial ainda permite que publiquem tais coisas.

    ResponderExcluir
  2. Leandro Duarte. Quero parabenizar sobre esta matéria da infeliz revista superinteressante (de interessante num tem nada).Bem essa revista no que desrespeito ao assuntos na bíblia e Cristo ela é categória e tendenciosa.Teve uma matéria sobre as verdades da Bíblia que questiona os mandamento do velho testamento e compará-los com a nossa sociedade e cultura atual,foi deplorável que a revista quiz comparar questões de cultura que talvez tenha mais de 8.000 anos atrás com nossa cultura atual e essa de Jesus é para o desmoralizar e depreciar sua integridade na história e na vida de cada cristão.Não é de se estranhar que a revista tenha recorrido a um ateu ou anti-cristãos para comentar o assunto...os ateus devem estar aplaudindo essa revista de pé...somente o quesito primeiro está correto,pois o dia 25/12 é o aniversário de Tamuz filho de Ninrode e Semiramis,primeiro homem conhecido a se opôr a Deus ( um tipo de anti-cristo) e ninguém sabe disso pq não estuda sobre esta data.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael, muito obrigado por comentar!

      Me desculpe a demora para responder ao seu comentário, vi apenas hoje!
      Não sabia dessa edição da Super Interessante sobre o Antigo Testamento, vou ver se procuro por ela. Obrigado pela informação!

      Abraços!

      Excluir
  3. Mas a revista teve um ótima iniciativa, em bifurcar a ideia que a bíblia é a única verdade o grande problema é que o cristianismo historicamente não aceita ser contrariado, e a revista como um veiculo de informação que ajuda a criar ideias, deve sim expor outras visões para o leitor por si só criar sua visão em relação aos mitos cristões e não reafirmar que a bíblia e a única verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá armo.mb, obrigado pelo comentário!

      Eu concordo que devemos apresentar o outro lado da moeda às pessoas, o problema a fazer isso não tendo nenhum argumento como base e a revista, como um veículo de informação, tem por obrigação consultar suas fontes e a veracidade delas antes de publicar qualquer tipo de matéria.

      Excluir
  4. a revista superinteressante ela é boa para falar de temas e diversas curiosidades da vida mas toda vez que há uma matéria sobre religião ou espiritualidade ela sempre demonstra não possuir um minimo de conhecimento ou usa fontes não muito confiaveis

    ResponderExcluir
  5. A Bíblia não passa de um livro escrito por um bando de homens ignorantes (ao extremo), machistas, misóginos,racistas e frustrados sexualmente, e que gostariam que a vida sexual da humanidade inteira fosse um porre, como a deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse comentário é meio peculiar visto que foi Paulo quem o escreveu.

      Mas vá lá, precisamos de alguns argumentos que sustentem sua posição, não acha?

      Excluir
  6. Bem vejam este fato simples.
    Se você esta no farol e dois carros se chocam.
    Você como testemunha ocular estará chocado, "Bem deveria estar" ! Então lhe perguntarão como aconteceu. Se você gostar de pescar ou caçar, vai dar um Best Seller e nas próximas pescarias ou caçadas você terá mais sucesso, explico "os bichinhos vão querer saber também o que aconteceu, certo" ?!
    Qual será a sua explicação? Então chegará a policia e precisará fazer o BO. O que aconteceu? Cada um dos envolvidos dará a sua versão. Vocês já sabem a confusão que vai ser certo!?!
    O certo de tudo isso é o seguinte:

    Você quer muito comprar um carro. Então você vai na revenda da Fiat e pergunta se o carro da Volks é bom? Meeeuuu, véééééiiiii, você vai voltar para casa andando.

    Politicamente correto e Covardia, qual a diferença?

    Tiago diz: Pergunte a Deus sobre suas duvidas. Tiago 1:5: ah, não esquece e lê o versículo 6 também. Mas tudo isso ainda pode parecer subjetivo, certo?! ERRADO!!!!! Podemos encontrar paz sem participar de uma atividade alucinógena exótica e complicada. É simples assim perguntar a DEUS com fé sabendo que ELE que governa todas as coisas que manda e os elementos obedecem, tem poder para responder a sua pergunta!

    Todas as coisas mostram que existe um DEUS, que ELE enviou Jesus Cristo para nos resgatar da morte e do pecado, para nos ensinar e nos dar o exemplo. Sim Jesus Cristo é nosso Salvador e Rei e Mestre !!!! Eu perguntei e posso dizer que ELE responde!

    Precisa ter coragem para perguntar! Te desafio a perguntar, aceita?

    ResponderExcluir


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...